Gestão

Fenasul Fenaleite está pronta para receber visitantes

O Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, está praticamente pronto para receber a Fenasul Fenaleite 2022, que ocorrerá a partir desta quarta-feira (18/5) até domingo (22/5). A feira funcionará de quarta-feira a sábado, das 8h30 às 22h e, no domingo, das 8h30 às 17h, e terá entrada gratuita. São esperadas mais de 10 mil pessoas, público registrado na última Fenasul, que aconteceu em 2019.


Publicado em: 20/05/2022 às 13:40hs

Fenasul Fenaleite está pronta para receber visitantes

“A casa está quase pronta em termos de infraestrutura e de contratações. Está tudo encaminhado”, garante a subsecretária do Parque, Elizabeth Cirne-Lima.

A pista de julgamento do gado leiteiro está montada e decorada. O galpão que receberá os animais já está quase finalizado. “Falta montar a estrutura que receberá a Multifeira, como os estandes para os lojistas e o espaço para os shows. Os pavilhões para receber os cavalos mangalarga estão prontos, inclusive os animais já começaram a chegar. E o dos cavalos crioulos também está pronto, só faltando finalizar as arquibancadas para o público”, esclarece Elizabeth.

De acordo com ela, pela primeira vez foram organizados calendários, agendas e compromissos com as copromotoras. “O evento iniciou como uma feira organizada pela Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando), depois foi crescendo, agregando outras instituições e, hoje, a gente tem uma feira bastante expressiva”, explica Elizabeth. “É o segundo maior evento do Parque, depois da Expointer. Com programação envolvendo provas do Cavalo Crioulo e Mangalarga, rodeio, exposição de pequenos animais (aves e coelhos), participação de gado de corte, além da exposição do gado leiteiro e dos eventos técnicos deste segmento”.

A subsecretária conta ainda que, devido à participação da Prefeitura de Esteio, haverá a Multifeira, que traz junto às diversas atrações, a agricultura familiar. “Também terá mostra de dois expositores ligados ao Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), que apresentarão as novidades relacionadas ao setor leiteiro. É a primeira vez que eles vêm”. 

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) entra com suporte, apoio, fomento para a realização do evento e para a mobilização do agronegócio como um todo. “É uma feira que tomou um vulto bem interessante, hoje bem estruturada e organizada e com apoio de várias instituições. Estamos bem felizes”, diz com satisfação Elizabeth.

Ela ressalta que a Fenasul Expoleite, ao contrário da Expointer, não foi realizada nos últimos dois anos de pandemia. “Os promotores e participantes estão com muita expectativa por conta desse período sem se reunir. É muito importante ter esse encontro, esse momento de seleção animal, e de oportunidade de novos negócios, novas parcerias”, acredita.

A feira terá shows também em sua programação. “Então, teremos diferentes públicos que devem comparecer ao Parque. Serão dois portões de acesso funcionando, o portão 7 para público em geral”, afirma a subsecretária.

Ela pontua que o foco da feira é a exposição e a seleção de animais, de provas nacionais que acontecem nesse período, mas que a vinda da Mutifeira e das máquinas traz a expectativa de oportunidade de geração de novos negócios. “Nas seleções, os animais de alta genética ganham valor agregado. Além da conquista do campeonato, tem a questão da valorização da genética dos animais selecionados. Esse é um ganho indireto, mas, com esse momento, temos a perspectiva de geração de novos negócios diretos com a vinda desses novos parceiros, como a Multifeira e as máquinas”, reforça.

Covid-19

Como a pandemia ainda não acabou, apesar de os eventos serem praticamente todos em espaços abertos, haverá dispensers de álcool em gel espalhados pela feira, que funcionará em 40% do Parque, que possui 144 hectares. 

Os protocolos do município de Esteio serão cumpridos, ou seja, a máscara não é mais obrigatória em espaços ao ar livre e fechados. “Mas quem quiser, pode usá-la”, afirma Elizabeth.  Também não há mais a necessidade de comprovar vacinação, nem apresentar testes negativos para a doença.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do RS

◄ Leia outras notícias