Mercado Florestal

Melhoramentos intensifica práticas de silvicultura em sua política de produção sustentável

Em 2022, a empresa projeta dobrar a quantidade de hectares de árvores plantadas em suas fazendas em relação a 2020, saltando de 223 para 446


Publicado em: 22/12/2021 às 11:35hs

Melhoramentos intensifica práticas de silvicultura em sua política de produção sustentável

Quando se fala no futuro da indústria comprometida com o meio ambiente, um dos conceitos mais recorrentes é o de florestas sustentáveis. Nessa seara, o Brasil registra alta no valor bruto da produção do setor de árvores cultivadas no país: um crescimento de 17,6% em 2020, na comparação com 2019, segundo dados da Ibá (Indústria Brasileira de Árvores). Entre 2010 e 2020, a cadeia produtiva do segmento somou 10,2% de incremento no valor adicionado ao PIB brasileiro.

O mercado de papel e celulose tem grande relevância nesse contexto. Por sinal, mesmo em meio à pandemia, o Brasil manteve seu posto de segundo maior produtor de celulose do mundo, atingindo um total de 21 milhões de toneladas fabricadas em 2020. 

Na posição de tradicional player dessa indústria, a Companhia Melhoramentos tem se esforçado para aprimorar suas práticas de ESG, corroborando uma trajetória que, em sua essência, sempre se caracterizou pelas preocupações ambientais. Entre elas, destacam-se as atividades de exploração e manutenção racional das florestas plantadas-- também conhecidas como silvicultura.

Essa ciência dedicada à regeneração e à melhoria dos povoamentos florestais vai ao encontro de uma das prioridades da Melhoramentos desde a sua fundação: a conservação das matas nativas, além dos corredores para animais e das nascentes em suas propriedades. Tais cuidados propiciam até o aparecimento de espécies raras e em extinção nas florestas da companhia, caso do macaco muriqui-do-sul, encontrado por biólogos em uma área protegida pela empresa na região de Monte Verde em Camanducaia, sul de Minas Gerais.

O patrimônio ambiental da Melhoramentos abrange hoje uma área de 148 quilômetros quadrados, superior à extensão de quase mil cidades brasileiras. Nesse perímetro, estão reunidas mais de 4,3 milhões de toneladas de estoque de carbono, em meio a 819 nascentes de água protegidas por áreas nativas. São 27,3 milhões de metros quadrados de florestas de alto valor de conservação (FAVC).

Mais árvores plantadas

Além do alto percentual de áreas nativas preservadas pela empresa (50%), também chama a atenção a baixíssima emissão de poluentes (0,9% de tudo que é produzido pela companhia), com volume muito maior de remoções na comparação com todas as emissões. Atualmente, quase 90% do consumo da Melhoramentos provêm exclusivamente de fontes renováveis. 

Em suas práticas de silvicultura, a empresa tem elevado ano a ano a quantidade de hectares de eucalipto e pinus plantados em suas fazendas de Camanducaia (MG), na região de Monte Verde, e Bragança Paulista (SP). A projeção da Melhoramentos é que esse número salte de 223 hectares em 2020 para 446 em 2022.

A Melhoramentos se preocupa ainda em intensificar a medição do volume dos produtos florestais em suas fazendas, técnica conhecida como dendrometria. Em 2019, ampliou-se a base de parcelas inventariadas, ou o número de árvores medidas para compor o inventário florestal da companhia. Foram 1.059 árvores em Camanducaia, 97 em Bragança Paulista e 468 em Caieiras. A dendrometria é fundamental para ordenar corretamente uma floresta, pois permite conhecer com precisão o desenvolvimento de suas espécies. Quem realiza esse trabalho nas propriedades da Melhoramentos é a Forest Brasil, especializada em soluções florestais.

Tecnologia de ponta

Em paralelo, a empresa tem incrementado o uso de recursos tecnológicos de ponta no planejamento e acompanhamento da colheita florestal. São aplicativos de localização e rastreamento, plataformas com imagens de satélite, sistemas de gestão florestal e drones com câmeras que, além de monitorarem a silvicultura, fazem o gerenciamento do combate a incêndios florestais. 

Por sua vez, o corte das árvores em suas propriedades obedece aos princípios de um manejo certificado que respeita os ciclos das espécies e ajuda a manter o solo saudável, minimizando os impactos para o meio ambiente.

Tais iniciativas em favor do uso sustentável de recursos para suas atividades industriais reforçam o propósito da empresa de “fazer crescer para melhorar o amanhã”, nas palavras do CEO Rafael Gibini. “Queremos gerar impactos positivos no nosso entorno, dar continuidade às ações de preservação da fauna e da flora e perseguir inovações de forma responsável e transformadora. Acreditamos que esse é o caminho para o crescimento sustentável de todos nós: empresa, sociedade e país”, diz Gibini. 

Sobre a Melhoramentos

A Companhia Melhoramentos de São Paulo, é uma companhia de capital aberto que atua, diretamente ou através de suas controladas, nos segmentos Editorial, Cultivo e Manejo de Florestas, fabricação de Fibras de Alto Rendimento de Celulose e Desenvolvimento Imobiliário.

A Melhoramentos se posiciona como agente de transformação no mundo, realizando, empreendendo e sendo protagonista do futuro em seus negócios. Segue comprometida com o desenvolvimento sustentável do País, agregando valor aos seus produtos, serviços e empreendimentos. 

Fundada há 130 anos, a Melhoramentos tem sua sede em São Paulo e unidades de produção nas cidades de Camanducaia (MG), Bragança Paulista (SP) e Caieiras (SP).

Fonte: Pitchcom Comunicação

◄ Leia outras notícias