Turismo Rural

Roteiros turísticos alternativos para a região do Caparaó

A região do Caparaó ganhou cinco novos roteiros turísticos. “De charme, café e aventura”, “Café com história”, “Paisagens do Caparaó”, “Belezas naturais e culturais do Caparaó” e “Caminho centenário” foram as rotas criadas pela turma que concluiu o curso de Agente de Turismo Rural oferecido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Alto Jequitibá.


Publicado em: 23/11/2021 às 17:00hs

Roteiros turísticos alternativos para a região do Caparaó
Foto: Agentes de Turismo Rural Caparaó, Alto Caparaó e Alto Jequitibá

O grupo formado por alunos dos municípios de Caparaó, Alto Caparaó e Alto Jequitibá foi instruído pelos profissionais Cláudia Ferolla Ferreira e Antônio Gilmar Tavares. Um evento realizado no Centro de Convivência do Parque Nacional do Caparaó marcou o encerramento do curso com o lançamento dos roteiros que buscam unir as três cidades e oferecer uma experiência completa aos visitantes. 

O gerente do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Viçosa, Marcos Reis e o Sindicato dos Produtores Rurais de Alto Jequitibá, Ely Salomão Rocha, o mobilizador Jorge Rodrigo de Faria e representantes das prefeituras acompanharam a cerimônia.

O foco e a determinação do grupo chamaram atenção de Marcos Reis. “Vimos como o conhecimento levado pelo programa fez a diferença na vida das pessoas. Algumas que não vislumbravam o turismo rural como um negócio passaram a entender e investir e outros que já estavam fazendo de forma tímida, passaram a atuar da forma correta roteirizando com segurança e gestão”.  

Para o mobilizador Jorge Rodrigo a turma superou os desafios impostos pela pandemia e foi bem-sucedida nos seis módulos do programa iniciado em maio deste ano. Ele pontuou que os novos agentes estão em contato com o poder público de suas localidades e outros parceiros também interessados em fomentar o turismo. “O plano da turma é colocar o conhecimento em prática e promover ostensivamente o turismo rural, com qualidade. Acredito que com a devida divulgação os roteiros vão fazer muito sucesso”.  

Alternativas 

A instrutora do curso Cláudia Ferolla Ferreira explicou que o foco principal do trabalho com a turma foi trabalhar em opções para os turistas que se interessam pela região, mas tem apenas o Pico da Bandeira e o Parque Nacional do Caparaó como possíveis destinos. “Com a pandemia o parque fechou e a região percebeu a necessidade de ter outros atrativos para o turista. Mostramos às pessoas que a região é cheia de possibilidades que precisam virar um produto vendável”.

Cláudia disse que o objetivo se cumpriu ainda com a formação em curso, quando vários alunos começaram a transformar ideias em fontes de renda ligadas ao turismo rural. 

Em ação 

O ex-aluno Ramiro Horst de Aguiar contou que sempre foi um entusiasta do turismo na região e o programa o estimulou a participar mais ativamente de espaços nessa área. “O curso agregou muito para mim. Pude atuar de forma positiva nos conselhos de turismo da cidade, participar como voluntário na organização das comemorações de 60 anos do Parque Nacional do Caparaó e estou como conselheiro do Grupo de Operadores do Turismo de Alto Caparaó e região (GTAC)”. 

Além das mudanças coletivas, Ramiro se prepara para empreender investindo na sua propriedade e confiante nos novos lugares descobertos durante o curso e na rede de fomento ao turismo rural que foi fortalecida durante esse período.  “O que seria uma cafeteria pequena depois do programa está se tornando um promissor espaço de encontro, diversão e entretenimento para a região. Com o programa pude exercer o tipo de turismo que eu gostaria para a minha região pautado em parcerias e construção, um ajudando o outro em favor de uma experiência mais interessante e prazerosa para os turistas que já nos visitam”, destacou. 

Em Alto Jequitibá, Paula Gripp já recebe turistas na Cafeteria Coffee Gripp e durante a formação identificou outros potenciais para a visitação na propriedade. “As visitas técnicas que aconteceram despertaram um olhar para alguns atrativos que a gente não via aqui no sítio como a visita ao Jequitibá e uma trilha que pode ser feita aqui dentro. O resultado para nós foi maravilhoso”.

O espaço é um dos pontos incluídos nas rotas criadas pela turma e já recebeu um grupo que estava fazendo todo o roteiro. Estamos divulgando os roteiros e começando a ver os frutos. Estamos muito felizes e agradecidos pela oportunidade que serviu para unir os três municípios no mesmo objetivo que é desenvolver o turismo rural na região”, comentou Paula.

“Criamos roteiros para cada uma das cidades e rotas interligadas. Temos passeios pelas lavouras e produção de cafés especiais, belezas naturais, turismo de aventura, história restaurantes, cafeterias, entre outros atrativos. Para o lançamento fizemos folhetos e banners com as rotas. Está tudo pronto para a turma continuar ganhando dinheiro, já que estamos próximos à temporada de férias”, salientou a instrutora Cláudia.