Meio Ambiente

Prática sustentável da Atvos contribui para recuperação de terras degradadas de Nova Alvorada do Sul (MS)

Empresa entrega 300 mudas de diferentes espécies nativas do Cerrado ao viveiro municipal, além de outras 50 unidades de plantas para a população local


Publicado em: 26/01/2022 às 15:20hs

Prática sustentável da Atvos contribui para recuperação de terras degradadas de Nova Alvorada do Sul (MS)

A Unidade Santa Luzia da Atvos, segunda maior produtora de etanol do país, destinou 300 mudas nativas do Cerrado para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Nova Alvorada do Sul (MS). As espécies de aroeira, ipê, ingazeiro, jacarandá, canafístula, acácia, angico, jatobá, jenipapo, goiabeira e sangra d'água foram destinadas ao viveiro municipal sul-nova-alvoradense, e serão utilizadas para apoiar na recuperação de áreas degradadas na zona rural do município. Recentemente, a usina também entregou mais de 50 unidades de plantas para a população local, em evento realizado no fim de 2021 que contou com a participação das comunidades localizadas no entorno da operação.

A doação de mudas é uma prática impulsionada há muitos anos pela empresa. “Na região próxima a Nova Alvorada do Sul, por exemplo, a companhia revitalizou o Viveiro de Mudas de Deodápolis (MS), de onde foram extraídas as espécies doadas ao município vizinho”, explica Danilo Bertoli, diretor-superintendente do Polo Sul MS da Atvos. “Um dos maiores objetivos da iniciativa é a preservação ambiental da região por meio da recuperação vegetal, principalmente no entorno de nascentes e rios. Também contribui para uma melhor qualidade do solo para produção de alimentos e outros insumos, além de beneficiar o coletivo por meio do conforto térmico e melhor qualidade do ar”, complementa o executivo.

Desta forma, a Atvos segue reforçando seu compromisso, como empresa signatária do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas) desde 2016, estimulando ações em linha com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2030 na sua operação e nas relações com o seu ecossistema. As ações de revitalização de viveiros de mudas e de doação de espécies vegetais contribuem para o ODS 13 – Ação contra a Mudança Global do Clima, que engloba medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos; e para o ODS 15 – Vida Terrestre, que visa proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres.