Frigoríficos e Abatedouros

Carne de frango: novamente, exportação inicial do mês sinaliza total mensal superior a 400 mil/t

A média diária dos embarques do período – 19.095 toneladas – recuou 6,30% em relação às 20.378 toneladas/dia de abril passado, mas foi 4,65% superior às 18.247 toneladas/dia de maio de 2021


Publicado em: 18/05/2022 às 13:30hs

Carne de frango: novamente, exportação inicial do mês sinaliza total mensal superior a 400 mil/t

Os primeiros dados da SECEX/ME acerca do andamento das exportações brasileiras em maio corrente apontam, no tocante à carne de frango in natura, que os embarques efetivados nas duas primeiras semanas do mês (1 a 14, 10 dias úteis) alcançaram volume intermediário entre a média diária do mês passado e a média diária de um ano atrás.

Em outras palavras, a média diária dos embarques do período – 19.095 toneladas – recuou 6,30% em relação às 20.378 toneladas/dia de abril passado, mas foi 4,65% superior às 18.247 toneladas/dia de maio de 2021.

A redução de abril para maio poderia levar à conclusão de que o total exportado no mês tende a ser inferior ao do mês anterior. Mas não. Pois além de contar com um dia útil a mais que há um ano, este maio também tem 3 dias a mais que o mês anterior. Assim, novamente, pelo terceiro mês consecutivo, a tendência é a de se chegar ao final do período com um volume embarcado superior a 400 mil toneladas.

Até agora foram exportadas perto de 190.950 toneladas do produto. Assim, mantida a média atual, outras 229 mil toneladas serão exportadas nos 14 dias úteis compreendidos nesta segunda quinzena de maio. Dessa forma, o sinalizado para a totalidade do mês é algo próximo das 420 mil toneladas, quase 10% a mais que o alcançado há um ano.

Ainda assim é impossível ignorar que tem ocorrido sensível redução dos embarques nos finais de mês e, outra vez, o ora previsto pode não ser alcançado. Não, pelo menos, no tocante ao produto in natura

O que não deve sofrer diluição é o preço médio alcançado pelo produto exportado . Por ora ele supera ligeiramente os US$2.070/tonelada, remuneração que além de ser um terço maior que a alcançada há um ano, representa a superação de um valor que há oito anos não atingia o patamar dos US$2.000/tonelada.

Mantido esse valor, bem como a atual média diária de embarques, a receita cambial do mês irá atingir novo recorde, superando pela segunda vez a marca dos US$800 milhões mensais. O previsto a partir do desempenho nos 10 primeiros dias úteis do mês é uma receita cambial em torno dos US$870 milhões, cerca de 45% a mais que o auferido um ano atrás, neste mesmo maio.

Fonte: AviSite

◄ Leia outras notícias