Milho e Sorgo

Milho abre a 6ª feira levemente mais alto na B3

Chicago sobe com clima da América do Sul e petróleo


Publicado em: 28/01/2022 às 10:40hs

Milho abre a 6ª feira levemente mais alto na B3

A sexta-feira (28) começa com os preços futuros do milho buscando se manter positivos na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações ainda se mantinham flutuando na fixa entre R$ 90,00 e R$ 100,00 por volta das 09h17 (horário de Brasília).

O vencimento março/22 era cotado à R$ 100,46 com alta de 0,14%, o maio/22 valia R$ 98,77 com valorização de 0,46%, o julho/22 era negociado por R$ 91,99 com ganho de 0,08% e o setembro/22 tinha valor de R$ 90,85 com elevação de 0,26%.

Para a Safras & Mercado, com o foco dos produtores na colheita da soja, o cenário de limitação de oferta de milho no cenário doméstico prossegue, o que deve travar a comercialização no Brasil. 

De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, os preços continuam bastante firmes na Região Sul, com oferta curta, o que mantém as bases próximas da linha de 100 reais a saca. Já no Sudeste, a semana vai sendo de comercialização lenta e de preços estáveis

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também abriu os trabalhos do último dia da semana contabilizando flutuações positivas para os preços internacionais do milho futuro por volta das 09h02 (horário de Brasília).

O vencimento março/22 era cotado à US$ 6,29 com desvalorização de 4,00 pontos, o maio/22 valia US$ 6,26 com elevação de 3,00 pontos, o julho/22 era negociado por US$ 6,19 com alta de 3,00 pontos e o setembro/22 tinha valor de US$ 5,81 com ganho de 1,75 pontos.

Segundo informações da Agência Reuters, o milho subiu para permanecer perto de uma alta de sete meses, com a força do petróleo bruto dando suporte adicional ao mercado antecipando perdas de seca na América do Sul que podem reduzir a oferta global de exportação.

Fonte: Notícias Agrícolas

◄ Leia outras notícias