Arroz

BRS A502: nova cultivar de arroz da Embrapa traz de volta regiões de sequeiro ao circuito produtivo da cultura

O Programa de Melhoramento Genético de Arroz da Embrapa, em parceria com outras organizações, disponibiliza uma nova cultivar de arroz de terras altas: a BRS A502. Com ciclo de até 110 dias, ela se destaca com altas produtividades


Publicado em: 24/11/2020 às 16:20hs

BRS A502: nova cultivar de arroz da Embrapa traz de volta regiões de sequeiro ao circuito produtivo da cultura

Seus estudos tiveram início em 2002, desenvolvidos em Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Maranhão e Piauí. Além da já citada produtividade, apresenta diversas características extremamente positivas, tanto para manejo, quanto para o mercado. Rusticidade; resistência intermediária à brusone, mancha de grãos e escaldadura; e qualidade de grãos, são os principais destaques da cultivar. As avaliações para resistência à brusone foram realizadas nos campos experimentais da Embrapa e no Viveiro Nacional de Brusone (VNB), conduzido em rede por fitopatologistas integrantes das equipes públicas de melhoramento de arroz do Brasil.

Sobre produtividade, segundo o coordenador do programa nacional, pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão, José Manoel Colombari Filho, a BRS A502 apresenta média de 4.029 kg/ha e potencial produtivo de 9.075 kg/ha. Além disso, demonstra resistência ao acamamento, com plantas de porte mais baixo e presença de stay green, que é a senescência tardia da planta na maturação dos grãos. A cultivar permite adoção em diversas condições de cultivo, incluindo rotação e sucessão de culturas em áreas sob agricultura intensiva (terras velhas). Ideal para o Norte, Centro-Oeste e Nordeste do País, ela pode ser produzida nas principais regiões de arroz de terras altas.

A alta qualidade dos grãos é determinante para a boa aceitação do mercado, de acordo com Rodrigo Sérgio, analista de Transferência de Tecnologia da Embrapa Arroz e Feijão, pois influencia no valor de comércio e na compra do produto pelo consumidor. Os grãos beneficiados da BRS A502 são da classe longo fino e baixa intensidade de grãos gessados. Com alta estabilidade de rendimento de grãos inteiros (média 67%) e renda de média 74%, a nova cultivar despertou o interesse da indústria, que já está trabalhando com ela nas prateleiras.

Clique aqui para mais informações sobre a cultivar.

Fonte: Embrapa

◄ Leia outras notícias